Curso: Tratamento de Esgotos com Reatores UASB e Pós-tratamento Aeróbio

Informações pesquisadas na Internet. SaneamentoWeb não se responsabiliza pelos dados informados. Interessados devem certificar as informações diretamente com as fontes citadas

 

Fonte: www.abes-dn.org.br, extraído em 10/06/2012 às 09:17 hs.

 

Data: 27 a 29/06/2012 Horário: 7h30/11h30 - 13h30/17h30

 

Local: Av 90, nº 220 Qd F44 Setor Sul - Goiânia - sala de treinamentos da Superint. Metropolitana de Negócios - SUMEN

 

Instrutor: MARCELO TEIXEIRA PINTO - Engenheiro Químico/UFRJ. Msc em Saúde Pública e Engenharia de Controle Ambiental pela Universidade de Strathclyde (U.K.). Especializado em Engenharia de Sistemas de Esgotos no Japão. Especialista em Gestão de Qualidade de Serviço na FGV Foi Superintendente de Operações e Manutenção de Unidades de Esgoto da CAESB, onde atualmente é Assessor de Modernização Empresarial.

 

Objetivo: Apresentar as tecnologias de tratamento anaeróbio de esgotos como reatores UASB seguidos de pós-tratamento, visando a aplicação dos conhecimentos adquiridos na operação e no desenvolvimento de projetos desses sistemas.

 

Metodologia: Aulas Expositivas e trabalhos individuais e em grupo

 

Programa:

- Introdução ao tratamento anaeróbio; Princípios da digestão anaeróbia; Degradação da matéria orgânica e formação do metano; Fatores intervenientes, positivos e negativos; Formação da biomassa;

- Reatores anaeróbios de fluxo ascendente; Reatores com enchimento interno; Reatores do tipo UASB; desenvolvimento e estado da arte; Aspectos vantajosos e limitações; eficiências alcançadas; Configurações dos reatores UASB;

- Parâmetros de projeto e controle; Critérios de projeto; Critérios de Operação

- Geração de lodo, descarte de lodo; Geração de escuma; descarte da escuma;

- Importância do tratamento preliminar, sólidos grosseiros e areia;

- Aspectos hidráulicos no projeto; Detalhamento das estruturas de entrada, de saída, e do separador de fases;

- Exemplo de um dimensionamento; Dados relativos a custos;

- Aspectos operacionais: partida e operação regular;

- Necessidade de pós-tratamento aeróbio: opções aplicáveis; Pós-tratamento por meio de lagoas de polimento; de filtros biológicos; de filtros aerados submersos;de sistemas de lodos ativados; de filtros anaeróbios;

- Estudos de caso: as diferentes opções adotadas

- Indicações da nova Norma Brasileira para "Elaboração de Projetos Hidráulico-Sanitários de Estações de Tratamento de Esgotos", da ABNT.

- Gestão Operacional e Ambiental

 

Carga horária: 24 horas

 

Público Alvo: Engenheiros e profissionais de nível superior correlatos que trabalhem com sistemas de esgotos sanitários.

 

Ver em: http://www.abes-dn.org.br/cursos/tratamento_go_27_29_06.pdf

 

Postado em 11/06/2012 às 07:10 hs.