Menos água, mesmo conforto


Informações pesquisadas na Internet. SaneamentoWeb não se responsabiliza pelos dados informados. Interessados devem certificar as informações diretamente com as fontes citadas

 

Fonte: www.terra.com.br, extraído em 11/06/2012 às 12:48 hs.

 

A mudança de hábito é fundamental, mas alguns produtos ajudam a combater o desperdício no banheiro, lugar onde mais se gasta água numa casa

 

Demorar menos tempo no banho ou fechar a torneira enquanto se escovam os dentes são pequenas atitudes que reduzem o consumo de água no dia a dia. A mudança de hábitos é, sem dúvida, o essencial, mas alguns produtos para banheiros ajudam a economizar ainda mais. Há descargas, chuveiros e torneiras com mecanismos que regulam a quantidade de água liberada e evitam o desperdício.

 

“Em uma cidade como São Paulo, o consumo diário de água por pessoa chega a ser em torno de 180 litros por dia. E o banheiro é o grande vilão”, afirma o presidente da ONG Universidade da Água, Gilmar Altamirano. De toda a água consumida em uma casa, quase metade é usada dentro do banheiro.

 

As descargas antigas, sobretudo as sem caixa d’água, chegavam a gastar até 18 litros quando eram acionadas. Só com a sua substituição por um modelo novo, cada vez que ela for utilizada podem ser economizados de 12 a 15 litros. As novas privadas possuem caixas com o sistema de dupla descarga: há um botão que libera 3 e outro que libera seis litros, de acordo com o que o usuário achar necessário.

 

A economia do consumo com o chuveiro também pode ser bastante significativa. De acordo com a Deca, fabricante de produtos de banho, com os produtos que existem atualmente é possível poupar aproximadamente 480 litros de água por dia, considerando uma casa de quatro pessoas em que cada uma toma um banho de 10 minutos por dia. Isso graças a uma tecnologia de arejamento, que, junto com a água, libera também ar. Assim, a sensação relaxante gerada pelo volume d’água permanece igual ao de uma ducha bem forte.

 

Esse mesmo sistema de arejamento é aplicado em torneiras, que ainda podem contar com um mecanismo de regulagem semelhante ao dos vasos sanitários. São torneiras que têm dois estágios para volumes de água. “Abrindo levemente a torneira, há uma resistência na alavanca”, explica Gil Conrado Pozza Azoni, supervisor de produtos da Roca, fabricante de louças e metais de banho. No primeiro estágio, o giro na torneira libera quantidades menores de água; no segundo, a mesma volta faz jorrar mais água.

 

Outra linha de produtos que ajuda a aliviar a conta do fim do mês — e a preservar recursos hídricos do planeta — é a de torneiras com acionamento automático. É muito comum em locais de maior movimentação (shoppings e aeroportos, por exemplo), mas está chegando também às residências. Quando se colocam as mãos na pia, um sensor abre a água, num volume que, em alguns modelos, pode ser programado. Quando se tiram as mãos, o fluxo é interrompido. É um item especialmente útil para gastar menos escovando os dentes.

 

Com tanta água correndo no banheiro, seria mais interessante que ela tivesse outro destino que não o esgoto. A bacia W+W, da Roca, faz essa reciclagem: ela reutiliza a água da pia no vaso sanitário. Seu sistema filtra a água do lavatório para que ela seja reutilizada na caixa da descarga. Ao mesmo tempo, ajuda a economizar espaço: a privada e a pia ficam mais próximas.

 

PrimaPagina - Especial para o Terra

 

Ver em: http://morardoseujeito.terra.com.br/casa-verde/menos-agua-mesmo-conforto/

 

Postado em 16/06/2012 às 11:16 hs.